Ajuda humanitária para fortalecer comunidades

Instituto C&A em 21 de fevereiro de 2018

Para tornar a moda uma força para o bem comum, não basta trabalhar com a cadeia de fornecimento. A transformação se estende às comunidades em que vivem funcionários, clientes e trabalhadores da cadeia de fornecimento da C&A. Nesse sentido, nosso programa Fortalecimento de Comunidades, por meio do projeto SOS Comunidade, realizou ações de ajuda humanitária nas cidades de Pocaraima (RR) e Manaus (AM) no acolhimento e assistência de venezuelanos refugiados.

O crescente fluxo migratório de venezuelanos que fogem do país vizinho gerou uma crise humanitária nos estados de Manaus e Roraima. A cidade fronteiriça de Pocaraima (RR) é um dos principais destinos dos refugiados, que vivem em condições precárias após abandonarem o seu país.

Em dezembro de 2017, o SOS Comunidade chegou ao município por meio do apoio financeiro ao Instituto Migrações e Direitos Humanos (IMDH). Os R$ 200 mil doados foram utilizados na compra de material para construir dois espaços no abrigo exclusivo para 250 indígenas Warao – um para favorecer a aprendizagem-interação das crianças e o outro para estimular a produção de artesanato indígena -, além de contribuir para a contratação de especialistas para apoiarem essas atividades. 

Outra parte do recurso, foi utilizado pelo IMDH para auxiliar os venezuelanos não indígenas que têm acolhimento provisório na Casa de Passagem Jesus Peregrino. O dinheiro foi utilizado na compra de alimentos, material de construção para auxiliar nas obras de acabamento e aquisição de móveis e utensílios dessa casa de passagem.

Em setembro de 2017, outra ação contou com a participação de cerca de 20 funcionários da C&A que atuam como voluntários do Instituo C&A, distribuíram mesas e cadeiras para os índios venezuelanos que estavam vivendo em situação precária na cidade de Manaus (AM).

O trabalho do SOS comunidade

Há mais de duas décadas apoiamos as comunidades por meio de recursos financeiros e atuação dos funcionários da C&A, que são voluntários do Instituto C&A. Muitos países onde a C&A mantém lojas ou adquire seus produtos são afetados por desastres naturais. São tempestades, deslizamentos de terra, terremotos ou crises humanitárias. Por isso, desde 1992 respondemos a desastres naturais com a ajuda de nossos voluntários. Por meio de nossa iniciativa SOS Comunidade, eles indicam organizações sociais ou doam seu tempo apoiando as comunidades locais em caso de emergência.

Neste ano, o SOS comunidade também chegou as cidades mineiras de Rio Casca e Santo Antônio do Grama, após as chuvas do fim do ano.


““Recebemos na loja da C&A a informação sobre a situação em Rio Casca e Santo Antônio do Grama (MG). Eu e a voluntária Evellyn Moura fizemos uma visita aos municípios, quando nos deparamos com as marcas da enchente nas casas. Muitos moradores estão recomeçando a vida do zero. Tivemos o prazer de conversar com alguns deles, que estão recebendo materiais de construção com a ajuda do Instituto C&A. Ver a alegria e a gratidão deles foi algo inexplicável. Foi uma visita única e cheia de sentimentos bons!" ”

Stefane Martins de Souza, funcionária da C&A de Ipatinga (MG)

“Em 2017 fomos foi muito ativos! Conseguimos atingir regiões do Norte até o Sul do País, atuando fortemente em situações de pós-inundações e também na chegada de venezuelanos ao Brasil”, conta Daniela Pavan, Gerente Fortalecimento de Comunidades do Instituto C&A.

Nas sete ações em que participamos no ano passado, foram doados mais de R$ 500 mil para a compra de cestas básicas, materiais de construção civil e equipamentos de escritório para entidades que prestam atendimento a imigrantes e aos refugiados. Confira as outas ações que realizamos no quadro.

 

Muita vontade de seguir adiante

Para 2018, a intenção é continuar ainda mais presente, apoiando as ações de ajudas humanitárias em todo o Brasil. “Com a presença das lideranças e dos funcionários da C&A, podemos apoiar transformações positivas nessas comunidades, trabalhando até mesmo a questão de prevenção”, finaliza Daniela Pavan.