Mais de uma década de combate ao trabalho escravo

Instituto C&A em 13 de abril de 2018

Trabalhamos para que a indústria da moda seja mais justa e sustentável. Por isso, apoiamos iniciativas que combatem o trabalho forçado nesse setor. O trabalho com imigrantes inseridos da indústria da moda é especialmente complexo e demanda muita atenção, principalmente nas frentes de advocacy e atendimento direto. Por isso, exige estratégias de longo prazo.

Após mais de uma década de parceria com a Missão Paz, organização com maior capacidade de atendimento de imigrantes em São Paulo, decidimos renovar o financiamento à iniciativa por mais três anos. Dessa forma, garantimos que o trabalho desenvolvido pelos Missionários Scalabrinianos e seus colaboradores, com o intuito de acolher, entender, integrar e celebrar a vida dos imigrantes e refugiados, seja mantido e ampliado.

Com um forte trabalho em advocacy, tendo sido um dos atores fundamentais para a aprovação da Lei de Migração Federal 13.455/2017, a parceria com Missão Paz se divide em quatro eixos principais: advocacy, empregabilidade, atendimento ao imigrante e comunicação (disseminação de conteúdo). 

Letícia Carvalho, assessora de advocacy da Missão Paz, considera que uma das maiores vitórias dessa parceria foi a aprovação da nova lei da imigração. “Sobre a Lei de Migração Federal, como os atores principais desse processo estavam em Brasília, o apoio de financiadores como o Instituto C&A foi fundamental para consegui ir até lá, conversar com essas pessoas e compreender como esse texto tramita dentro do Congresso Nacional. Agora começa o trabalho de implementação da lei e de fazer com que ela se torne uma política pública que impacte na vida dos migrantes e refugiados no Brasil.”, afirma Letícia.

Outra parceria que foi renovada por três anos é o financiamento ao Centro de Apoio e Pastoral do Migrante (CAMI). Especializada no suporte ao imigrante e em seu processo de empoderamento, em especial de mulheres imigrantes, a entidade atua diretamente na promoção dos direitos humanos fundamentais, na inserção social, na prevenção às formas de trabalho análogas a de escravo e na prevenção ao tráfico de pessoas. 

“Esses próximos três anos serão essenciais para o fortalecimento do CAMI e seu desenvolvimento institucional. Também será importante apresentar os resultados dessa parceria para a sociedade civil e mostrar que a mudança é possível quando instituições com objetivos semelhantes trabalham em conjunto em prol do bem comum.” declarou Roque Renato Pattussi, coordenador do CAMI.

As duas iniciativas são chave para o enfrentamento ao trabalho forçado e seus propósitos estão alinhados aos do Instituto C&A. “A luta pela erradicação do trabalho forçado e do infantil é longa e árdua. Contudo, nossas parcerias com a Missão Paz e com o Centro de Apoio e Pastoral do Migrante (CAMI), em São Paulo, garantem que trabalhadoras e trabalhadores imigrantes em situação de vulnerabilidade ou situação análoga ao trabalho escravo tenham o apoio para lutar pelos seus direitos e garantir uma vida livre de violência e desigualdades.”, afirma Luciana Campello R. Almeida, gerente de Direitos Humanos e Transformação da Cadeia de Fornecimento.

Veja a avaliação dessas parcerias aqui