Novo relatório sobre o empoderamento das mulheres na indústria da moda

Instituto C&A em 5 de julho de 2017

Colaboração Brandee Butler

O relatório empresarial da organização global sem fins lucrativos BSR, “Empoderamento das Mulheres que Trabalham na Indústria da Moda: Três Áreas para Ação Empresarial", são destacados os resultados da pesquisa realizada pelo International Center for Research on Women (ICRW), que foi apoiada pela C&A Foundation e pela Levi Strauss Foundation. Em resumo, foram identificadas três áreas nas quais as empresas de vestuário podem agir para promover o bem-estar e o empoderamento econômico das trabalhadoras.

1. Enfrentar o trabalho informal: o acesso ao trabalho formal, com todas as suas garantias, é um passo importante para o empoderamento econômico da mulher. Infelizmente, a indústria global da moda depende fortemente das operações informais, e a pesquisa do ICRW confirmou a necessidade de uma ação articulada contra o trabalho informal. As empresas globais devem expandir suas iniciativas para elos mais informais da cadeia de fornecimento, em que as necessidades são maiores. É hora de trabalhar juntos, em um diálogo construtivo para apoiar políticas que favoreçam e promovam a formalidade no local de trabalho.

2. Avançar para pôr fim à violência: o empoderamento econômico é impossível diante da violência de gênero no trabalho e em casa. Um relatório recente da CARE revelou que praticamente uma em cada três trabalhadoras do setor de confecção no Camboja afirmam ter sofrido assédio sexual no local de trabalho no ano passado, o que custou às empresas US$ 89 milhões em perda de produtividade. Os esforços para combater a violência devem considerar não somente intervenções no local de trabalho, mas também formas de articulação com os sistemas públicos para fortalecê-los na luta pelo fim da violência contra a mulher.

3. Reconhecer a necessidade de creches: Em todo o mundo, as mulheres realizam uma quantidade desproporcional de trabalho de cuidado não remunerado. Dado que os trabalhadores do setor de confecção são predominantemente mulheres em idade reprodutiva, a falta de acesso a creches de qualidade a preços acessíveis permanece como uma barreira à participação efetiva e de longo prazo no trabalho. Ao mesmo tempo, as empresas devem apoiar a intenção abrangente do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 5 e garantir a igualdade de oportunidades para a liderança em todos os níveis de decisão na vida política e econômica. Apoiar o acesso a creches de alta qualidade é um passo importante que as empresas do setor podem dar imediatamente.

Essas três oportunidades interconectadas representam ações significativas que as empresas do setor de confecção podem realizar agora para estimular o empoderamento econômico das mulheres. As empresas podem adotar políticas, fazer investimentos e participar de parcerias com ONGs, organizações comunitárias e outras instituições para promover essa causa. Outra forma de apoio é exercer influência positiva compartilhando dados, realizando pesquisas e se engajando em campanhas de mobilização para aumentar a conscientização acerca dos fatores que promovem a equidade e a igualdade de gênero. Para saber mais, baixe o relatórioaqui.

Nosso programa Melhores Condições de Trabalho tem foco nas mulheres, que representam 76% da mão de obra do setor no Brasil. Saiba mais em nosso Relatório Anual.