O poder da transparência

by C&A Foundation on Abr 24, 2017

Como incentivar a transparência em uma indústria com uma cadeia de fornecimento pulverizada e opaca? É possível produzir uma mudança real na vida dos trabalhadores impulsionando a transparência na cadeia da indústria da moda? Essas são questões que a C&A Foundation, organização da qual o Instituto C&A faz parte, tem cada vez mais analisado por meio de seus apoios e parcerias, diz Jill Tucker, Diretora de Inovação e Transformação da Cadeia de Fornecimento da C&A Foundation.

“Temos observado em diversos setores e na sociedade civil como a divulgação pública de informações pode produzir mudança e fomentar a prestação de contas. O caso Panamá Papers é um exemplo recente disso. Com mais informações, o público pode exigir mudança. Queremos que isso ocorra também no setor de vestuário".

A indústria da moda é notória pelas cadeias de fornecimento complexas e geralmente pouco transparente. Não há um modo fácil de os consumidores saberem onde ou em que condições suas roupas são feitas, a não ser pelo país de origem escrito na etiqueta.

“Dezenas de milhares de auditorias são realizadas em fábricas todo ano. Mesmo assim, com poucas exceções, os resultados permanecem inacessíveis às pessoas que não a diretoria da fábrica e o comprador envolvido. Raramente as informações sobre condições de trabalho são divulgadas para os trabalhadores, o governo ou o público em geral – as partes mais propensas a pressionar por melhorias. E, sem informações, fica difícil agir.”

Jill Tucker

Mas há alguns sinais animadores de que as coisas estão começando a mudar. A Fashion Revolution, com o apoio da C&A Foundation, publicou o 2017 Fashion Transparency Index (Índice de Transparência da Moda de 2017) – uma análise de 100 marcas e varejistas da moda global de acordo com quanto eles divulgam suas políticas, práticas e impactos socioambientais.

A Fashion Revolution descobriu que um número crescente de marcas está começando a abraçar a transparência. De modo geral, as marcas estão informando políticas e compromissos e um número cada vez maior está divulgando em seus sites na Internet os nomes e as localizações de alguns ou de todos os seus fornecedores diretos.

Entretanto, ainda há trabalho a ser feito. A pontuação média de todas as marcas no Fashion Transparency Index foi 49 de um total de 250, e nenhuma marca pontuou mais do que 50%. Em sua maioria, as marcas estão publicando poucas informações sobre os “impactos de suas práticas", tais como os resultados de avaliações de fornecedores ou detalhes de atividades de reparação.

“Se, por um lado, estamos satisfeitos com o desenvolvimento da indústria", diz Jill, “por outro gostaríamos de ver mais e melhores informações serem compartilhadas com o público em geral".

A C&A Foundation vê a transparência como um primeiro passo em direção à prestação de contas e à mudança de comportamento em toda a cadeia de fornecimento. Apoiamos iniciativas que coletam informações e as divulgam ao público para que diferentes usuários possam agir sobre elas e, assim, melhorar as condições de trabalho.

Mas também reconhecemos que a transparência deve ser complementada com outros mecanismos para que as mudanças alcançadas na fábrica possam ser incorporadas em toda a indústria. Isso inclui sistemas que incentivem o diálogo, ferramentas de apoio para que os principais atores possam efetuar mudanças, bem como o fortalecimento dos trabalhadores para negociarem essas mudanças.

Uma forma de enfrentar o problema é colocar o poder de volta nas mãos dos próprios trabalhadores, e a tecnologia está começando a tornar isso possível. “A maioria dos trabalhadores tem agora um telefone em suas mãos e estamos explorando como podemos usar essa tecnologia para coletar dados sobre suas condições de trabalho, conectar e empoderar as comunidades de trabalhadores, de forma que elas possam lutar pelas melhorias que considerem mais importantes".

Recentemente, a LaborVoices Inc publicou os resultados de uma iniciativa apoiada pela C&A Foundation que usava tecnologia de celulares para obter opiniões de trabalhadores na indústria da moda turca, dando a eles a chance de falar sobre suas condições de trabalho.

Com pressão vindo de vários lados – entre os quais marcas que pensam no futuro, governo, sociedade civil, consumidores e trabalhadores – a chamada por mudança irá se tornar cada vez mais difícil de ser ignorada por marcas, varejistas e fornecedores resistentes à transparência.

Clique aqui para saber mais sobre o nosso compromisso global com a transparência.