Justiça de Gênero

Acreditamos que, para transformar a moda numa força para o bem, precisamos enfrentar a desigualdade de gênero e a violência contra as mulheres. Por isso, aplicamos uma lente de gênero em tudo o que fazemos.

As mulheres desempenham papéis fundamentais no cultivo de algodão, mas raramente exercem papéis de tomada de decisão em suas famílias, nas comunidades agrícolas ou nas organizações de produtores. As trabalhadoras das fábricas e oficinas de costura representam 80% da força de trabalho da indústria da moda no mundo, mas em geral ocupam postos de trabalho não qualificados. As mulheres também têm menos chances de ser promovidas e seus salários são menores, mesmo ocupando cargos iguais aos dos homens.

No setor informal, onde há uma grande proporção de mulheres, não existem contratos ou acesso à representação sindical. As mulheres, neste caso, são especialmente vulneráveis a baixos salários, horas excessivas de trabalho e exploração.

Em cada um dos nossos programas, trabalhamos com parceiros, incluindo organizações de defesa dos direitos das mulheres, a fim de promover a voz, a liderança e a capacidade das mulheres para exercê-los. Também estamos apoiando iniciativas para ajudá-las a influenciar as tomadas de decisão na cadeia de valor da indústria da moda.

Além disso, utilizamos uma série de estratégias, incluindo o envolvimento de homens e meninos, na defesa de políticas e práticas para promover a justiça de gênero e apoiar alianças, bem como iniciativas de empoderamento e aprendizagem.

Nossa teoria da mudança relativa à justiça de gênero nos guia para atingir e medir os resultados e se aplica em todos os nossos programas. Você pode encontrá-la aqui.