Gênero, Equidade e Inclusão: a jornada do Instituto C&A

Por Bama Athreya

Partilhar

Considere em quem você pensa quando pedimos para imaginar um líder corporativo, investidor ou gerente de fábrica. Agora, pense em quem vem à sua mente na hora de ser atendido em uma loja, em quem vende ou costura as roupas.

Quando se trata de gênero, somos condicionados a reconhecer as mulheres como compradoras, trabalhadoras no varejo e em fábricas. Elas raramente são lembradas como tomadoras de decisão.  E, até certo ponto, esse estereótipo é verdadeiro, embora as mulheres representem cerca de 80% de todas as pessoas que atuam no setor de moda.  É por isso que, há alguns anos, incorporamos uma teoria de mudança que aborda a Justiça de Gênero em todo o nosso trabalho. Porque acreditamos que, para fundamentalmente transformar a moda em uma força do bem, devemos abordar essa dinâmica de gênero.

A dinâmica de gênero afeta homens e mulheres e, é claro, indivíduos que não seguem a “conformidade” quanto ao gênero. Nossa abordagem não é de “empoderamento das mulheres”.  Não se trata apenas de mulheres, trata-se de mudar a dinâmica social. Justiça de Gênero é o termo que escolhemos para descrever essa abordagem.

Em nossa jornada para entender e abordar gênero, aprendemos a compreender a forma complexa e cumulativa em que os efeitos de múltiplas formas de discriminação - incluindo o racismo, capacitismo e homofobia - se combinam, sobrepõem ou se interceptam para reforçar a desigualdade de gênero. Em muitos dos países onde trabalhamos, as mulheres e os homens que fabricam, vendem e compram as nossas roupas podem vir de comunidades contidas por sistemas profundamente enraizados de discriminação e exclusão. 

Nossa indústria não pode prosperar se isso continuar dessa forma.  Por isso, em 2018, publicamos a Declaração sobre igualdade e inclusão (Statement on Equity and Inclusion). Assumimos uma série de compromissos nessa declaração.  Um dos nossos principais compromissos foi com a transparência - comunicar o nosso progresso e os nossos retrocessos.  Esta é uma das muitas atualizações que compartilharemos com todas as pessoas interessadas em mais transparência na indústria.

Em 2018, encomendamos um Relatório de Benchmarking para nos ajudar a desenvolver uma abordagem abrangente e holística sobre gênero, equidade e inclusão, tanto nas nossas próprias operações como na nossa concessão de apoios.  

Estamos observando essa abordagem holística interna e externamente, tanto no que diz respeito à proteção e prevenção de danos quanto no apoio afirmativo a uma cultura local de trabalho que envolve nossas diferenças e é verdadeiramente inclusiva. Estamos implementando um ambicioso Plano de Ação de Gênero, Equidade e Inclusão em nossas operações e políticas internas e em nossas concessões de apoios. E, em 2019, continuamos nossa jornada de aprendizagem por meio de uma Parceria de Aprendizagem sobre Justiça de Gênero.

Por meio da parceria, diferentes equipes dentro do Instituto foram capazes de entender melhor sobre justiça de gênero. No Brasil, uma especialista em gênero e inclusão social deu uma série de workshops para nossa equipe e fez visitas de campo com parceiros para aprofundar nossa capacidade de aplicar uma lente de inclusão social em todas as atividades que apoiamos. Saiba mais sobre as principais lições aprendidas aqui. No México, nossa equipe de campo trabalhou com uma organização da sociedade civil local e especializada (ILSB) para incorporar gênero e inclusão social em seu trabalho interno e externo, bem como reunir a sociedade civil e doadores para discutir como o Instituto poderia ajudar a avançar na pauta sobre gênero no país. Finalmente, alguns de nossos parceiros mexicanos receberam apoio para incorporar a justiça de gênero em suas próprias estruturas e nas iniciativas do Instituto C&A. 

Ainda temos muito trabalho a fazer, mas com este ambicioso diagnóstico da nossa cultura interna e da concessão de apoios, poderemos aperfeiçoar nosso Plano de Ação para a Igualdade de Gênero, Equidade e Inclusão.  E estaremos celebrando algumas de nossas parcerias e sucessos compartilhados este ano na próxima conferência do Women Funded em São Francisco - junte-se a nós no painel sobre Equidade de Gênero na indústria da moda!